EFEITOS DA FISIOTERAPIA CARDIOVASCULAR EM PACIENTE SUBMETIDO À VALVOPLASTIA AÓRTICA: ESTUDO DE CASO

Michel Silva Reis, Ruth Caldeira de Melo, Robison José Quitério, Lucien de Oliveira, Luis Eduardo Barreto Martins, Ester da Silva, Aparecida Maria Catai

Abstract


O objetivo deste trabalho foi avaliar a capacidade funcional e a variabilidade da freqüência cardíaca (VFC) de um valvopata submetido à Fisioterapia Cardiovascular (FTCV). Foi estudado um homem de 63 anos, com implante aórtico, em uso de beta-bloqueador, a partir do 20º dia do pós-operatório, o qual foi avaliado em repouso supino (15 min) e durante manobra para acentuar a arritmia sinusal respiratória (ASR) (4 min), com captação da FC e dos intervalos R-R (iR-R), em ms, do eletrocardiograma, e durante três testes de exercício físico dinâmico contínuo e submáximo, realizado em cicloergômetro. Sendo os 1o. e 2o. com carga inicial de 15W e incrementos de 5W e o 3o. com carga inicial de 20W e incrementos de 10W durante 3 min em cada esforço. A potência, pressão arterial e freqüência cardíaca foram analisadas no pico do esforço. A VFC foi analisada no domínio do tempo (índice RMSSD dos iR-R) e no domínio da freqüência, em valores relativos (unidades normalizadas) das bandas de baixa (BF) e alta freqüência (AF) e a razão BF/AF. As avaliações foram realizadas antes da FTCV (T1), após três meses (T3) e após seis meses (T6). Os resultados mostraram: a) aumento do RMSSD e da AF e redução da BF e da razão em repouso e na ASR nas condições T3 e T6 em relação a T1; b)aumento da potência em T6, sugerindo que a FTCV promoveu melhora do controle autonômico da FC e da capacidade funcional do paciente estudado.

Refbacks

  • There are currently no refbacks.