Para além do ressentimento e do pathos da distância: a indiferença como amor fati

Danilo Bilate

Resumo


Nietzsche analisa o ressentimento, caracterizando-o como um afetoenfraquecedor ou deprimente. Por outro lado, ele cria o conceito depathos da distância para designar um outro afeto, fortalecedor e ascendente,que seria próprio a todo tipo nobre. Entretanto, a definição depathos da distância pode ser aproximada da definição de ressentimento,na medida em que ambos operam por uma relação de alteridade, ondeou um indivíduo se ressente por outro ou um indivíduo deseja se afastarde um outro. Investigaremos se esse desejo de afastamento pode serconsiderado uma forma de ressentimento ou se esse mesmo desejopode vir acompanhado do amor pela totalidade do real, pelo amor fati.Seguindo essa última hipótese, questionaremos se é ou não possíveluma indiferença amorosa, isto é, uma indiferença que não se manifestacomo ressentimento.

Palavras-chave


Ressentiment; Pathos da distância; Indiferença; Amor fati

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/estudosnietzsche.04.002.AO.04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.