Práxis como poiesis em Nietzsche

José Antônio Feitosa Apolinário

Resumo


No presente artigo, pretendemos examinar as possibilidades de uma concepção nietzschiana de poiesis ligada à sua compreensão da arte, tomando como fio condutor o significado da criação neste filósofo, enquanto dinâmica fundamental que concerne ao acontecer em geral e à vida mesma. Por essa via, perscrutaremos em que medida a admissão de um modo de viver artístico a partir de Nietzsche só se torna viável em função de uma concepção mais abrangente de poiesis, que assume a condição de uma outra práxis. Na condução desse propósito, far-se-á necessário examinar possíveis correlações entre os domínios cosmológico, estético, artístico e ético na atmosfera filosófica em questão.

Palavras-chave


Criação; Poiesis; Arte; Ethos; Práxis

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/ren.v2i2.22599

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.