Nietzsche e os impasses do princípio de prazer: uma leitura a partir do primeiro período

Rogério Miranda de Almeida

Resumo


Este texto tem como objetivo precípuo fazer ressaltar os impasses do princípio de prazer no primeiro período de Nietzsche, isto é, o período que compreende os “escritos trágicos” e as Considerações extemporâneas. A ênfase deste estudo, porém, recairá sobre os “escritos trágicos”. A questão de uma moral hedonística em Nietzsche é ambígua e paradoxal, na medida em que ela atravessou diversas revalorações. Nota-se certo predomínio do binômio prazer-desprazer no período de transição, cuja referência principal é a obra Humano, demasiado humano I e II. Todavia, no terceiro e no primeiro período,que é o foco destas reflexões, a principal característica é a de um além do prazerou, mais exatamente, de um gozo que inclui tanto prazer quanto desprazer.

Palavras-chave


Prazer; Desprazer; Gozo; Pulsões; Moral utilitária

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/ren.v2i2.22598

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.