O silêncio das musas: a música em Humano, demasiado humano

Henry Burnett

Resumo


O artigo pretende indicar algumas possibilidades de leitura do primeiro volume de Humano, demasiado humano, considerado o livro que inaugura a segunda fase da obra de Nietzsche. Para tanto, optamos principalmente pelo viés do suposto abandono da perspectiva estético-musical, que predominara na primeira fase da obra, e que teria sido abandonada a partir desta publicação, em 1878. A intenção é tentar mostrar a direção que seu pensamento estético tomava a partir de então. Para tanto, precisamos entender o significado do aparecimento de novos temas e, principalmente, a nova concepção de gênio elaborada por Nietzsche, distinta daquela identificada com a figura de Richard Wagner.

Palavras-chave


Friedrich Nietzsche; Richard Wagner; Música alemã; Gênio

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/ren.v1i2.22576

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.