Fragmentos dissonantes: o nascimento de Richard Wagner em Bayreuth

Anna Hartmann Cavalcanti

Resumo


Com a publicação integral dos fragmentos póstumos de Nietzsche, iniciada por Colli e Montinari no fim dos anos 60, foi possível, pela primeira vez, acompanhar o processo de elaboração de suas obras publicadas e de reconstruir os diferentes momentos de sua interpretação dos escritos de Wagner. Os fragmentos póstumos permitem mostrar que Nietzsche desenvolve no período de elaboração do ensaio Richard Wagner em Bayreuth, correspondente aos anos 1874-1876, duas diferentes perspectivas em sua interpretação da arte wagneriana: examina a obra e a personalidade de Wagner com distanciamento, antecipando aspectos centrais da crítica que irá desenvolver no último período de sua produção filosófica, e, ao mesmo tempo, elabora uma análise produtiva, na qual já se delineia o perfil do artista como renovador da cultura que irá caracterizar a versão final do ensaio, publicada em julho de 1876. Neste artigo, pretendo examinar, a partir dos fragmentos póstumos, a história de nascimento de Richard Wagner em Bayreuth, procurando analisar a tensão de perspectivas que caracterizou a interpretação de Nietzsche da obra e da trajetória wagnerianas.

Palavras-chave


Nietzsche; Wagner; Música; Interpretação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7213/ren.v1i1.22560

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Editora Universitária Champagnat

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.